Falando com Gestos

27/09/2011 19:05

Falando com gestos

    Na parada do busão voltando pra casa vejo um grupo de surdos conversando na linguagem de sinais, sempre achei esa linguagem legal e tenho vontade de aprender, mas por falta de tempo sempre adio esse curso,  e fiquei lá com cara de bobo olhando a conversa, sem entender bulhufas, e ouvi umas pessoas comentando e falando que eles eram surdos-mudos.

 

    Surdo-mudo é uma denominação  antiga e errada atribuída aos surdos, que ainda persiste na mídia, a mudez é outra deficiência, não tendo relação com a surdez, é muito raro um surdo também ser mudo.Fato é a total possibilidade de um surdo falar, através de exercícios fonoaudiológicos, aos quais chamamos de surdos oralizados. Também é possível um surdo nunca ter falado, sem que seja mudo, mas apenas por falta de exercício.Por esta razão, o surdo só será também mudo se, e somente se, for constatada clinicamente deficiência na sua oralização, impedindo-o de emitir sons.
 

 

Eu te amo

    Portanto, o termo surdo-mudo tem sido encarado pela cultura surda, como um erro social dado ao fato de que o surdo viveria num "silêncio" rotulado pela própria sociedade (por falta de conhecimento do real significado das duas palavras, na verdae o surdo pode falar sim, basta apenas exercícios fonoaudiológicos).

 

    Depois dos exclarecimentos vamos ao post em si. A linguagem brasileira de sinais(também chamada de libras) ao contrário que muitas pessoas podem achar, não é uma medida paleativa (aquela gambiarra) mas é uma língua natural como qualquer outra, com estruturas sintáticas, semânticas, morfológicas, etc. A diferença básica é que ela também utiliza a imagem para expressar-se. Para se aprender LIBRAS deve-se, portanto, passar por um processo de aprendizagem de uma nova língua, tal qual fazemos quando nos propomos a aprender francês, inglês, etc, só que na minha opinião é bem mais difícil.

 

    Libras são consideradas LAs ou Linguagem de Sinais existentes no mundo inteiro para a comunicação entre surdos. Ela tem origem na Linguagem de Sinais Francesa. As linguagens de sinais não são universais, elas possuem sua própria estrutura de país pra país e diferem até mesmo de região pra região de um mesmo país, dependendo da cultura daquele determinado local para construir suas expressões ou regionalismos.

 

    Para determinar o seu significado, os sinais possuem alguns parâmetros para a sua formação, como por exemplo a localização das mãos em relação ao corpo, a expressão facial, a movimentação que se faz ou não na hora de produzir o sinal, etc, por isso a dificuldade, mas eu acho muito bonita a linguagem de libras, e também é um modo de superação de limites.

 

    Há algumas particularidades simples, que facilitam o entendimento da língua, como o fato de os verbos aparecerem todos no infinitivo e os pronomes pessoais não serem representados, sendo necessário apontar a pessoa de quem se fala para ser entendido. Há ainda algumas palavras que não tem sinal correspondente, como é o caso dos nomes próprios. Nessa situação, as letras são sinalizadas uma a uma para expressar tal palavra.

 

Para acabar com o preconceito e para facilitar a vida dos surdos o jeito é divulgar o sistema de libras, nem que seja as letras (confesso, eu aprendi com a Xuxa).

Fonte: http://efeitodomino-sam.blogspot.com/2010/01/falando-com-gestos.html